Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/6697
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorChagas, Tays Torres Ribeiro daspt_BR
dc.contributor.authorPinho, Alexandre de Paula-
dc.date.accessioned2024-03-18T15:43:57Z-
dc.date.available2024-03-18T15:43:57Z-
dc.date.issued2024pt_BR
dc.identifier.citationPINHO, Alexandre de Paula. Inclusão de pessoas neurodivergentes no mercado de trabalho e o papel da ergonomia nessa inclusão. 2024. 33 f. Monografia (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2024.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/6697-
dc.description.abstractEste trabalho investiga a inclusão de neurodivergentes no mercado de trabalho, com ênfase em pessoas que possuem o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e/ou o Transtorno do Espectro Autista (TEA). A neurodivergência engloba uma parcela significativa da sociedade, e engloba pessoas com diferentes habilidades e potenciais, mas por se tratar de pessoas com funcionamento diferente do normativo da sociedade, elas apresentam necessidades específicas, as quais muitas vezes não são atendidas pelas empresas, prejudicando sua performance e consequentemente a produção da empresa. Dessa forma é necessária a utilização da ergonomia para auxiliar a inclusão desses colaboradores dentro das empresas, os auxiliando a atingir seu verdadeiro potencial. Foi constatado que existe uma certa invisibilidade desse grupo de pessoas dentro das empresas, logo é necessário que elas sejam reconhecidas como neurodivergentes, em prol de tornar possível sua inclusão no quadro de funcionários das empresas de maneira correta. Para tornar esse estudo possível, foi realizada uma pesquisa semi-estruturada com pessoas neurodivergentes que ja fazem parte do mercado de trabalho, buscando entender se são reconhecidas como neurodivergentes em suas empresas, se existe uma adaptação no seu trabalho, se acreditam que estão atingindo seu potencial no trabalho e se estão alocados de forma correta dentro de suas empresas. Sendo assim, precisamos utilizar da ergonomia para auxiliar estes funcionários, seja de forma a alterar o âmbito físico no ambiente de trabalho, os processos da empresa, conscientizando o quadro de funcionários ou mesmo alocando esse colaborador na função adequada. Concluiu-se que a inclusão de neurodivergentes não é apenas uma questão de justiça social, mas também uma oportunidade para as empresas aproveitarem a diversidade de habilidades e perspectivas que esses profissionais oferecem. É necessário que as empresas, os profissionais de recursos humanos, os formuladores de políticas e toda a sociedade trabalharem juntos para criar ambientes de trabalho mais inclusivos e diversificados, reconhecendo e valorizando a contribuição única de cada indivíduo.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectNeurodivergênciapt_BR
dc.subjectTranstorno do espectro autista - TEApt_BR
dc.subjectTranstorno do déficit de atenção e hiperatividade - TDAHpt_BR
dc.subjectNeuroatípicopt_BR
dc.subjectErgonomiapt_BR
dc.titleInclusão de pessoas neurodivergentes no mercado de trabalho e o papel da ergonomia nessa inclusão.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeChagas, Tays Torres Ribeiro daspt_BR
dc.contributor.refereeAndrade, Yã Grossipt_BR
dc.contributor.refereeSimões, Raoni Rochapt_BR
dc.description.abstractenThis paper seek to understand the inclusion of neurodivergent people in the job market, with an emphasis on people who have Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) and/or Autism Spectrum Disorder (ASD). Neurodivergence encompasses a significant portion of society, and includes people with different abilities and potentials, but because they are people who function differently from society's norms, they have specific needs, which are often not met by companies, damaging their performance and consequently the company's production. Therefore, it is necessary to use ergonomics to help the inclusion of these employees within companies, helping them to reach their true potential. It was found that there is a certain invisibility of this group of people within companies, so it is necessary for them to be recognized as neurodivergent, in order to make it possible for them to be included in the company's workforce correctly. To make this study possible, a semi-structured survey was carried out with neurodivergent people who are already part of the job market, seeking to understand whether they are recognized as neurodivergent people by their companies, whether there is an adaptation in their workplace, whether they believe that they are achieving their full potential at work and whether they have the proper role within their companies. Thus, we rely in ergonomics to help these employees, whether in order to change the physical environment in the workplace, the company's processes, raising awareness among employees or even allocating these employees to the appropriate function. It was concluded that the inclusion of neurodivergent people is not only a matter of social justice, but also an opportunity for companies to take advantage of the diversity of skills and perspectives that these professionals offer. It is necessary for companies, human resources professionals, policymakers and society as a whole to work together to create more inclusive and diverse work environments, recognizing and valuing the unique contribution of these individuals.pt_BR
dc.contributor.authorID19.1.1250pt_BR
Appears in Collections:Engenharia de Produção - OP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_InclusãoPessoasNeurodivergentes.pdf699,08 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.