Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/4071
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSicupira, Dalila Chavespt_BR
dc.contributor.authorFerreira, Marcos Vinícius Fonseca-
dc.date.accessioned2022-05-18T15:23:54Z-
dc.date.available2022-05-18T15:23:54Z-
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.citationFERREIRA, Marcos Vinicius Fonseca. Caracterização eletroquímica de uma liga NiTi superelástica com recobrimentos a base de óxido de grafeno. 2021. 45 f. Monografia (Graduação em Engenharia Metalúrgica) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/4071-
dc.description.abstractAs propriedades de resistência à fratura e à corrosão das ligas quase equiatômicas de níquel-titânio (NiTi) são fortemente dependentes de sua qualidade superficial, sendo necessária a formação espontânea de uma camada passivadora superficial de óxido de titânio. Essa camada viabiliza a utilização dessas ligas como biomateriais, inibindo a liberação de íons níquel (potencialmente cancerígeno) e atua como uma camada resistente à corrosão, o que melhora a bioestabilidade e biocompatibilidade da liga. O comportamento eletroquímico das camadas anódicas, está relacionado às suas propriedades físico-químicas e à interação com seu entorno. Portanto, a avaliação da resistência à corrosão é essencial, pois o NiTi pode estar sujeito a condições de serviço agressivas. Sendo a corrosão um dos principais desafios para a estabilidade e visando prolongar a vida útil dessas ligas, foi avaliado, neste trabalho, a aplicação de revestimentos a base de óxido de grafeno por meio de dip-coating, sendo eles o óxido de grafeno (GO) e o copolímero SEBS com óxido de grafeno reduzido (RGO-P) objetivando o aumento da resistência à corrosão da liga de NiTi. As técnicas de difração de raios X (DRX) e microscopia eletrônica de varredura (MEV) foram utilizadas para identificação da presença dos óxidos de grafeno nos recobrimentos e determinação das fases presentes no substrato de NiTi, bem como para caracterização qualitativa das superfícies. As análises químicas semi-quantitativas foram conduzidas por espectroscopia de raios X por dispersão em energia (EDX), evidenciando a presença dos elementos C e O em regiões localizadas sobre a superfície da amostra recoberta com RGO-P. Ademais, a liga foi submetida a ensaios eletroquímicos para avaliação da resistência à corrosão antes e após o recobrimento, apresentando amplas regiões passivas para todas as amostras e uma melhor resposta à corrosão para o revestimento híbrido polimérico, associada à uma menor densidade de corrente de passivação, à indicações de sua atuação isolante, à sua resistência à polarização cerca de duas vezes superior à apresentada pelas amostras GO e à atribuição de uma menor densidade de doadores de elétrons no filme passivo, enquanto que a amostra GO indicou limitações na proteção à corrosão relacionadas à problemas de adesão do óxido de grafeno em determinados substratos e a formação de par-galvânico.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectCorrosão - resistênciapt_BR
dc.subjectLigas de níquel-titâniopt_BR
dc.subjectRevestimentos - processos - dip-coatingpt_BR
dc.titleCaracterização eletroquímica de uma liga NiTi superelástica com recobrimentos a base de óxido de grafeno.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeSicupira, Dalila Chavespt_BR
dc.contributor.refereeSantos, Leandro de Arrudapt_BR
dc.contributor.refereePinto, Maria Aparecidapt_BR
dc.description.abstractenThe fracture and corrosion resistance properties of nickel-titanium (NiTi) quasi-equatomic alloys are strongly dependent on their surface quality, requiring the spontaneous formation of a passive surface layer of titanium oxide. This layer enables the use of these alloys as biomaterials, inhibiting the release of nickel ions (potentially carcinogenic) and acts as a corrosion resistant layer, which improves the alloy's bio-stability and biocompatibility. The electrochemical behavior of the anodic layers is related to their physical-chemical properties and the interaction with their surroundings. Therefore, the evaluation of corrosion resistance is essential, as NiTi may be subject to aggressive service conditions. Corrosion is being one of the main challenges for stability and aiming to prolong the useful life of these alloys, the application of graphene oxide coatings through dip-coating was evaluated in this work, being them graphene oxide (GO) and SEBS copolymer with reduced graphene oxide (RGO-P) in order to increase the corrosion resistance of the NiTi alloy. The techniques of X-ray diffraction (XRD) and scanning electron microscopy (SEM) were used to identify the presence of graphene oxides in the coatings and to determine the phases present in the NiTi substrate, as well as for qualitative characterization of the surfaces. The semi-quantitative chemical analyzes were conducted by energy dispersion X-ray spectroscopy (EDS), showing the presence of elements C and O in regions located on the surface of the sample coated with RGO-P. In addition, the alloy was subjected to electrochemical tests to assess the corrosion resistance before and after the coating, presenting wide passive regions for all samples and a better corrosion response for the hybrid polymeric coating, associated with a lower passivation current density, to indicatios of its insulating action, its resistance to polarization about twice as high as that presented by the GO samples and the attribution of a lower density of electron donors in the passive film, while the GO sample indicated limitations in corrosion protection related to problems of adhesion of graphene oxide on certain substrates and the formation of a galvanic couple.pt_BR
dc.contributor.authorID17.2.5985pt_BR
Appears in Collections:Engenharia Metalúrgica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_CaracterizaçãoEletroquímicaLiga.pdf1,37 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons