Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2988
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilva, Siomara Aparecida dapt_BR
dc.contributor.authorGonçalves, Pedro Paulo da Silva Elias-
dc.contributor.authorMiranda, Vinícius Lopes Rangel-
dc.date.accessioned2021-04-26T19:03:10Z-
dc.date.available2021-04-26T19:03:10Z-
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.citationGONÇALVES, Pedro Paulo da Silva Elias; MIRANDA, Vinícius Lopes Rangel. Atividade física a qualidade de vida e a motivação a prática continuada dos escolares do ensino médio. 2021. 39 f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Escola de Educação Física, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2988-
dc.description.abstractEste trabalho verificou a qualidade de vida de estudantes do ensino médio através do nível de atividade física e da prática esportiva continuada. A amostra foi constituída por 733 alunos, regularmente frequentes em quatro instituições de ensino médio, sendo duas públicas, uma privada e uma federal. A idade desses alunos variava entre 15 e 20 anos, e, no que se refere ao gênero, 349 eram do sexo masculino e 384 do feminino. Os dados foram obtidos através de três questionários: IPAQ, WHOQOL-Bref, e o IMPRAF-54. O nível de atividade física dos rapazes se apresentou significativamente superior em relação ao nível das moças. Os domínios da qualidade de vida que tiveram os maiores resultados foram: Físico e Social em ambos os sexos. As dimensões mais motivantes para todos os participantes foram a Saúde e o Prazer. As correlações entre o nível de atividade física e as dimensões da percepção de qualidade de vida foram negativas e extremamente baixas, assim como entre os fatores motivacionais e o nível de atividade física. O domínio psicológico obteve as mais altas correlações junto as dimensões de Sociabilidade e Competição quando correlacionou a qualidade de vida com os fatores motivacionais. Quando comparadas as escolas entre si, constatou uma porcentagem superior de estudantes ativos em relação aos inativos em todas as redes de ensino. Quanto aos domínios da motivação à prática os menores escores foram dos estudantes da rede pública. Os alunos da escola federal demonstraram menor percepção de qualidade de vida geral e nos domínios físico, psicológico e de sociabilidade, já os da rede privada evidenciaram maior percepção de qualidade de vida no domínio ambiente. Conclui-se que um alto nível de atividade física não influenciou positivamente para uma melhor percepção de qualidade de vida nos estudantes de ensino médio, nem tanto para a motivação à prática continuada de atividade física. Assim sendo, recomendamos que sejam realizadas mais pesquisas nesse campo, para que possamos melhor compreender o quanto o exercício físico pode, de fato, influenciar na percepção de qualidade de vida do indivíduo e na sua motivação a prática continuada.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectAtividade físicapt_BR
dc.subjectQualidade de vidapt_BR
dc.subjectEnsino médiopt_BR
dc.titleAtividade física em relação a qualidade de vida e a motivação a prática continuada dos escolares do ensino médio.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Siomara Aparecida dapt_BR
dc.contributor.refereeFerreira, Arthur Moreirapt_BR
dc.contributor.refereeCustódio, Glauber César Cruzpt_BR
dc.description.abstractenThis study verified the quality of life of high school students through the level of physical activity and continued sports practice. The sample consisted of 733 students, regularly attending four high schools, two public, one private and one federal. The age of these students ranged from 15 to 20 years old, and, regarding gender, 349 were male and 384 female. The data were obtained through three questionnaires: IPAQ, WHOQOL-Bref, and the IMPRAF-54. The physical activity level of boys was significantly higher than that of girls. The domains of quality of life with the highest scores were: physical and social in both genders. The most motivating dimensions for all participants were Health and Pleasure. The correlations between the level of physical activity and the dimensions of perceived quality of life were negative and extremely low, as well as between the motivational factors and the level of physical activity. The psychological domain obtained the highest correlations with the Sociability and Competition dimensions when correlating quality of life with motivational factors. When the schools were compared with each other, a higher percentage of active students was found in relation to inactive students in all school networks. As for the domains of motivation to practice, the lowest scores were among students from the public school system. The federal school students showed lower perception of quality of life in general and in the physical, psychological, and sociability domains, while the private school students showed higher perception of quality of life in the environment domain. We conclude that a high level of physical activity did not influence positively for a better perception of quality of life in high school students, nor for the motivation to continue physical activity. Therefore, we recommend that further research be conducted in this field, so that we can better understand how much physical exercise can, in fact, influence the individual's perception of quality of life and their motivation for continued practice.pt_BR
dc.contributor.authorID15.2.6025pt_BR
dc.contributor.authorID15.2.6024pt_BR
Appears in Collections:Educação Fisíca - Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_AtividadeFísicaQualidade.pdf1,19 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons