Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2800
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCoelho, Daniel Barbosapt_BR
dc.contributor.advisorSilva, Ana Carolina dapt_BR
dc.contributor.authorCardoso, Mateus Ibraim-
dc.date.accessioned2020-12-09T16:46:10Z-
dc.date.available2020-12-09T16:46:10Z-
dc.date.issued2020-
dc.identifier.citationCARDOSO, Mateus Ibraim. Interferência do treinamento de força sobre o equilíbrio estático em idosos. 2020. 35 f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Escola de Educação Física, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/2800-
dc.description.abstractO envelhecimento populacional é uma realidade em todo o mundo, e é de extrema importância que esse processo ocorra de forma saudável. Para isso faz-se necessário a manutenção das capacidades funcionais, em especial o equilíbrio, uma das capacidades mais afetadas pelo processo de envelhecimento e o treinamento de força pode ser importante para atenuar esses efeitos. Objetivo: verificar a interferência do treinamento de força sobre o equilíbrio estático em idosos saudáveis. Metodologia: A amostra foi composta 23 idosos de ambos os sexos, que realizaram um programa de treinamento de força de longa duração, sendo os encontros realizados três vezes por semana ao longo de doze semanas, sendo a prescrição da carga definida pelo teste de predição de uma repetição máxima (1-RM) com intensidade progressiva (60 – 85% de 1-RM). O equilíbrio foi avaliado pré e pós-período de intervenção, por meio de avaliação estabilométrica em plataforma de força. Resultados: Constatou-se diferença significativa havendo redução nos parâmetros do equilíbrio pré e pós período de intervenção; amplitude ântero posterior (p=0,01); velocidade ântero posterior (p=0,01) e área total deslocada (p= 0,04). No teste de força máxima foi observada diferença significativa em: puxada anterior (p=0,01); tríceps (p=0,01); supino (p= 0,01); remada sentada (p=0,01); cadeira extensora (p=0,01) e cadeira flexora (p=0,01). Conclusão: Conclui-se que o treinamento de força pode ser utilizado como ferramenta chave para minimizar esse processo no grupo em questão.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectTreinamento de forçapt_BR
dc.subjectIdosospt_BR
dc.subjectEquilíbrio - idosospt_BR
dc.subjectEnvelhecimentopt_BR
dc.titleInterferência do treinamento de força sobre o equilíbrio estático em idosos.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.contributor.refereeCoelho, Daniel Barbosapt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Ana Carolina dapt_BR
dc.contributor.refereeCruz, Izinara Rosse dapt_BR
dc.contributor.refereeLopes, Lilian Maria Peixotopt_BR
dc.description.abstractenPopulation aging is a reality worldwide, and it is extremely important that this process occurs in a healthy way. For this it is necessary to maintain functional capacities, especially balance, one of the capacities most affected by the aging process and strength training can be important to mitigate these effects. Objective: to verify the interference of strength training on static balance in healthy elderly. Methodology: The sample consisted of 23 elderly men and women, who underwent a long-term strength training program, with meetings held three times a week over twelve weeks, with the prescription of the load defined by the prediction test of a maximum repetition (1-RM) with progressive intensity (60 - 85% of 1-RM). Balance was assessed before and after the intervention period, by means of a stabilometric evaluation on a force platform. Results: A significant difference was found, with a reduction in the balance parameters before and after the intervention period; anteroposterior amplitude (p = 0.01); anteroposterior velocity (p = 0.01) and displaced total area (p = 0.04). In the maximum strength test, a significant difference was observed in: anterior pull (p = 0.01); triceps (p = 0.01); bench press (p = 0.01); seated stroke (p = 0.01); extensor chair (p = 0.01) and flexor chair (p = 0.01). Conclusion: It is concluded that strength training can be used as a key tool to minimize this process in the group in question.pt_BR
dc.contributor.authorID15.1.6051pt_BR
Appears in Collections:Educação Física - Bacharelado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_InterferênciaTreinamentoForça.pdf511,74 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons