Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1399
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCosta, Ricardo André dapt_BR
dc.contributor.authorMatos, Denise de Kássia-
dc.date.accessioned2018-11-07T15:48:06Z-
dc.date.available2018-11-07T15:48:06Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationMATOS, Denise de Kássia. O poder da Nova Economia : uma visão microeconômica da economia criativa. 2017. 33 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1399-
dc.description.abstractA Nova Economia, expressão criada em meados dos anos 1990 que explica a transição entre a economia industrial para uma economia voltada ao consumidor e serviços, traz à economia tradicional uma releitura dos seus modelos. No decorrer dos anos, essa “nova economia” aprimorou suas ramificações e hoje liga diversos setores da economia voltados para a criatividade e serviços. Economia Criativa, Economia do Compartilhamento, Economia da Cultura e tantos outros nomes são dados a essa releitura das tradicionais abordagens econômicas, buscando aperfeiçoar os recursos disponíveis com consciência da necessidade do consumidor, a partir da criação de novos mercados que valorizam o trabalho intelectual e o valor agregado ao produto final. Nesse contexto, o desenvolvimento empreendedor e a transformação empresarial emergem como responsáveis pela criação de novos mercados, cujas análises sobre as preferências do consumidor são mais complexas. Neste trabalho apresentaremos as modificações geradas por essa nova economia, utilizando como exemplo duas empresas que criaram seu próprio mercado e transformaram a realidade do empreendedor brasileiro baseados na necessidade do consumidor, sendo elas a Gympass e Saraiva. Tudo isso baseado numa análise microeconômica sobre essa nova economia e em um estudo qualitativo. Os principais resultados constatados indicam que estas empresas possuem em comum a transição dos mecanismos de micro resiliência atreladas às vantagens competitivas, flexibilidade e empreendedorismo, o que vai de acordo com a literatura de economia criativa.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopen accesspt_BR
dc.subjectCriatividade nos negóciospt_BR
dc.subjectInovação - aspectos econômicospt_BR
dc.subjectConsumidorespt_BR
dc.titleO poder da Nova Economia : uma visão microeconômica da economia criativa.pt_BR
dc.typeTCC-Graduaçãopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida à Biblioteca Digital de TCC’s da UFOP pelo(a) autor(a) em 15/09/2017 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCosta, Ricardo André dapt_BR
dc.contributor.refereeOliveira, Francisco Horácio Pereira dept_BR
dc.contributor.refereeAmancio, Geisa Rafaela Sousapt_BR
dc.description.abstractenThe New Economy, an expression created in the middle of 90’s that explains the transition from industrial economy to a consumer-driven economy and services, brings to the traditional economy a rereading of its models. Over the years this "new economy" has improved its ramifications and today connects several sectors of the economy focused on creativity and services. Creative Economy, Sharing Economy, Culture Economy and so many other names are given to this re-reading of the traditional economic approaches, seeking to improve the available resources with awareness of the need of the consumer, from the creation of new markets that value the intellectual work and the Added value to the final product. In this context, entrepreneurial development and business transformation emerge as responsible for the creation of new markets, whose analyzes of consumer preferences are more complex. In this work we will present the changes that the new economy causes, using as an example two companies that created their own market and transformed the reality of the Brazilian entrepreneur based on the need of the consumer, being Gympass and Saraiva. All this based on a microeconomic analysis on this new economy and on a qualitative study. The main results show that these companies have in common the transition of the mechanisms of micro resilience tied to the competitive advantages, flexibility and entrepreneurship, according to the literature of creative economy.pt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_PoderMicroeconomiaCriativa.pdf1,08 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons